22 de Novembro de 2017, 14:10

Coleção Científica19/07/2013

A coleção ornitológica foi iniciada por Eduardo Casado Marques em 1956 e incrementada em seguida com 380 exemplares da antiga coleção do Museu Júlio de Castilhos. Posteriormente, incorporou a coleção da Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul, organizada durante as décadas de 1950 e 1960 por Oswaldo Camargo. O acervo também resguarda grande parte (1240 espécimes) da importante coleção organizada por William Belton, ornitólogo norte-americano que atuou no Estado principalmente nas décadas de 1970 e1980, a serviço da Smithsonian Institution, Washington (EUA), a qual, por sua abrangência espacial e temporal, representa a base do conhecimento científico hoje existente sobre a distribuição e ocorrência das aves no Estado. Essa coleção em particular subsidiou a elaboração das obras “Birds of Rio Grande do Sul, Brazil” Partes 1 e 2, publicada em meados da década de 1980 no Boletim do American Nuseum of Natural History, de New York, e “Aves Silvestres do Rio Grande do Sul”, editada pela Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul.

A coleção ornitológica do MCN é a mais representativa da avifauna sul-rio-grandense. Atualmente, é composta por cerca de 3000 exemplares taxidermizados, uma coleção osteológica (740 registros), uma coleção oológica (cerca de 750 ovos de aproximadamente 100 espécies), uma coleção de ninhos (cerca de 130) e uma coleção de penas (329 registros), além de tecidos e exemplares didáticos. O acervo de peles taxidermizadas inclui exemplares de cerca de 80% das mais de 650 espécies de aves encontradas no Rio Grande do Sul e contém itens de elevado valor histórico e documental, tais como dois dos cinco exemplares provenientes do Rio Grande do Sul do gavião-real (Harpia harpyja ), ave de rapina hoje extinta na maior parte do Estado, além dos únicos espécimes de Neoxolmis rufiventris (gaúcho-chocolate) e Phytotoma rutila (corta-ramos-de-rabo-branco) coletados até hoje no Brasil e do único exemplar que documenta a ocorrência do frango-d'água-menor africano ( Gallinula angulata ) no Novo Mundo.

Responsáveis e curadores: Eduardo Casado Marques (1958-1963), Flávio Silva (1976-1989), Walter Adolfo Woss (1990-1992), Eduardo Albuquerque (1995-1998), Maria Inês Burger (1999-2001) e a partir de 2002, Glayson Ariel Bencke.

FZB - Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul

Rua Dr. Salvador França, 1427

CEP: 90.690-000 - Porto Alegre - RS

Horário de Funcionamento: das 8h ás 18h

Fone: (51)3320-2016

  • Listas de espécies ameaçadas
  • ZEE RS
  • Central do Cidadão
  • Portal Transparência
  • Livro de Resumos XIII JIC
 

Comunicação

 

Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul

Rua Dr. Salvador França, 1427

CEP 90.690-000 - Porto Alegre - RS

Horário de Funcionamento: das 8h ás 18h

Fone: (51)3320-2016

E-mail: comunica@fzb.rs.gov.br

 

Desenvolvido pela PROCERGS    |    Termos de uso